Como fazer um currículo: exemplos de como montar um CV

Com suas chances de progredir na sua carreira não se brinca. Siga nosso passo a passo para ver como fazer um currículo ideal, e garantir que está montando o currículo perfeito.

Pedro Martins
Pedro Martins
Especialista em carreira
Como fazer um currículo: exemplos de como montar um CV

Este é o melhor guia que você lerá sobre como fazer um currículo.

 

Sério. Ele é um compilado de todas as dicas, para cada seção do seu currículo. Seguindo este artigo, você verá como montar um currículo impecável, do começo ao fim.

 

Aqui você encontrará:

 

  • Um modelo de currículo perfeito;
  • Um passo a passo de como fazer seu currículo;
  • Diversas dicas de profissionais sobre como montar um currículo.

 

Economize horas de trabalho e faça um currículo como esse. Escolha um modelo para preencher dentre os mais de 18 modelos de currículos para baixar.

 

CRIE SEU CURRÍCULO

 

modelo de currículo

 

O que usuários disseram sobre a ResumeLab:

“Eu tive uma entrevista ontem e a primeira coisa que me falaram foi: “nossa, adoramos seu currículo!”
Patrick

“Adorei a variedade dos modelos. Parabéns, continuem com o bom trabalho!”
Dylan 

“Meu currículo anterior era muito fraco, e eu passei horas formatando ele no Word. Agora eu consigo mudar qualquer coisa em minutos. Maravilhoso!”
George

CRIE SEU CURRÍCULO

 

Modelo de como fazer um currículo

 

Carlos Garcia Rosa

Enfermeiro

(99) 99999–9999

carlos.g.rosa@email.com.br

linkedin.com/in/carlosgarciarosaenfermagem

 

Objetivo do currículo

 

Enfermeiro com mais de 8 anos de experiência na área e espírito de liderança. Em meu trabalho atual, coordenei e supervisionei mais de 10 técnicos e auxiliares de enfermagem e atendi diariamente pacientes em estados graves de saúde, sempre garantindo o conforto durante o atendimento. Adoraria trazer minha paciência e proatividade para o Hospital Alto da Sé como enfermeira.

 

Experiência laboral

 

Enfermeiro

Hospital Santo Abreu

Novembro 2018 — atualmente

  • Coordenei e supervisionei de mais de 10 técnicos e auxiliares de enfermagem;
  • Atendi diariamente pacientes em estados graves de saúde, sempre garantindo o conforto durante o atendimento;
  • Fui avaliado com nota 10 de 10 pelos meus supervisores;
  • Fui enfermeiro do centro cirúrgico em mais de 100 ocasiões, sempre contribuindo para que a cirurgia acontecesse com excelência.

 

Auxiliar de Enfermagem

Hospital Santo Abreu

Abril 2016 – Outubro 2018

  • Administrei medicamentos para pacientes e monitorei suas reações e efeitos colaterais;
  • Cuidei de mais de 15 pacientes em recuperação traumática;
  • Mentorei cinco estagiários de enfermagem.

 

Auxiliar de Enfermagem

Hospital Minha Nossa Senhora

Junho 2015 – Março 2016

  • Atualizei os prontuários de mais de 15 médicos, sem nunca atrasar a atualização;

 

Estágio em Enfermagem

Hospital Minha Nossa Senhora

Julho 2014 – Janeiro 2015

 

Formação acadêmica

 

Bacharel em Enfermagem

Faculdade de Federal de Enfermagem do Paraná

Outubro 2012 – Junho 2016

 

Habilidades

 

  • Assistência a pacientes com choque cardiogênico;
  • Avaliação de som intestinal;
  • Coleta de amostras;
  • Conhecimento de conduta médica a pacientes testemunhas de Jeová;
  • Experiência com rotina de UTI;
  • Preparação de cesariana emergencial;
  • Espanhol fluente;
  • Liderança;
  • Paciência;
  • Proatividade.

 

Informações adicionais

 

  • Voluntário por seis meses em casas de idosos, 2016.

 

Abaixo veremos como fazer um currículo como este, porém com seus próprios dados.

 

1. Formato do currículo: estrutura e aparência

 

7 segundos.

 

Esse é o tempo que você tem para convencer o recrutador a continuar lendo seu currículo, ou até menos. Segundo um estudo recente, sete segundos é a média do tempo que eles passam olhando para cada currículo.

 

Pontos essenciais para causar uma primeira impressão e manter os olhos dos recrutadores grudados no seu currículo são:

  • Formatar seu currículo de maneira profissional e agradável de ser lido;
  • Dividi-lo em uma das estruturas já conhecidas dos recrutadores.

 

Vamos ver como fazer esses dois pontos:

 

Formatação do currículo

 

Não existe formatação certa ou errada na hora de fazer um currículo, mas as dicas abaixo garantirão uma aparência profissional ao seu CV:

 

  • Escolha uma fonte para currículo que seja profissional e séria, e que seja uma fonte que seja padrão do Windows, como Arial ou Cambria;
  • Use como tamanho da fonte algo como 11 ou 12. Nem muito grande, nem muito pequeno;
  • Aumente um pouco o tamanho da letra para fazer os títulos das seções (que veremos com detalhes abaixo);
  • Use um espaçamento de linha próximo de 1,15 se estiver fazendo um currículo no Word;
  • Garanta que as margens do documento têm o mesmo tamanho em ambos os lados;
  • Faça com que toda a informação do seu currículo caiba em uma única página se você estiver no começo da sua carreira, mas tudo bem avançar para uma segunda página se você já tiver alguns anos de trabalho;
  • Não coloque uma foto no currículo, a não ser que faça parte de uma indústria em que a aparência está relacionada com a profissão, como é o caso de modelos e atores.
  • Faça um cabeçalho com apenas:
    • Seu nome completo;
    • Sua profissão (ou vaga desejada, se for seu primeiro emprego);
    • Número de telefone;
    • Endereço de e-mail;
    • Endereço do seu LinkedIn.

 

A ideia é realmente não detalhar muito o cabeçalho, afinal, os recrutadores olham para um CV por tão pouco tempo, e não queremos distraí-los da parte suculenta. O importante é que eles possam te contactar se gostarem do seu perfil.

 

Estrutura do currículo

 

Para evitar que os recrutadores descartem seu currículo de cara, é recomendado utilizar um dos três formatos de currículos tradicionais. Eles são:

 

  • Currículo cronológico inverso;
  • Currículo funcional;
  • Currículo misto.

 

O currículo cronológico inverso é o mais tradicional de todos, e a estrutura que costuma vir às nossas cabeças quando pensamos em um curriculum vitae. Ele é caracterizado por dois pontos:

 

  1. Divisão nas seções tradicionais de um currículo;
  2. As informações são listadas começando pelas experiências mais recentes.

 

O currículo funcional é útil para casos específicos, como profissionais autônomos e é dividido por seções que representam as habilidades do candidato. O currículo misto é uma combinação dos dois modelos de currículos.

 

Neste passo a passo, faremos um currículo cronológico inverso, já que é o modelo de currículo perfeito para a maior parte dos candidatos. Se você quiser saber mais sobre os outros dois modelos, leia os artigos:

 

 

Para dividir seu currículo da maneira tradicional, crie as seções abaixo, nessa ordem:

 

 

Veremos abaixo como criar seção por seção, e como saber o que escrever em cada uma.

Dica valiosa: se tiver pouca experiência e uma educação forte, considere inverter a ordem das seções de experiência e formação acadêmica, já que, neste caso, a educação será seu forte.

2. Como colocar experiência laboral no currículo

 

A primeira seção do currículo é o perfil profissional, mas vamos pulá-lo por enquanto e voltar no final. É melhor assim, pois ele é um compilado do resto do seu CV, então é mais fácil escrevê-lo após montar seu currículo.

 

Vamos começar pela seção que, segundo muitos recrutadores, é a que mais define que candidatos serão escolhidos: a experiência de trabalho.

 

Se você nunca trabalhou, ainda não pule esse capítulo! Pense bem se não há nenhum tipo de experiência laboral que pode ser utilizada aqui. Lembre-se que tudo conta, inclusive:

 

  • Estágios não-remunerados;
  • Trabalhos informais;
  • Voluntariado;
  • Experiências em outras áreas.
  • Ajuda nos negócios da família;
  • Experiências curtas.

 

Para saber no que focar, se você nunca trabalhou, leia nosso artigo: Como fazer um currículo sem experiência.

 

Descreva suas experiências de trabalho começando pela mais recente, e voltando no tempo até seu primeiro cargo. Você não precisa colocar todas as suas posições, se tiver um histórico extenso. Escolha as que são mais relevantes para a vaga desejada.

Dica valiosa: por ser a seção que os recrutadores costumam olhar primeiro, tente fazer com que ela seja a maior seção do seu CV, ocupando cerca de 40% do documento.

Para cada posição que você colocar no currículo, inclua os itens abaixo:

 

  • Título do cargo exercido;
  • Nome da empresa;
  • Data de início (pode incluir mês ou apenas ano);
  • Data de saída (escreva “atualmente” se ainda estiver lá);
  • Uma lista com responsabilidades e conquistas.

 

Mas o que colocar nessa lista de responsabilidades e conquistas, afinal? Siga as dicas abaixo:

 

  • Lembre-se de incluir apenas responsabilidades ou conquistas relevantes para a vaga concorrida;
  • Inclua mais itens no seu trabalho mais recente (assumindo ser o mais relevante para a vaga), cerca de 4-5 itens está ótimo. Nos outros você pode incluir menos itens, ou até nenhum;
  • Inicie a descrição da conquista com um verbo em primeira pessoa, como “planejei” ou “reduzi”;
  • Evite usar a palavra “eu”. Por exemplo, ao invés de “eu gerenciei”, escreva “gerenciei”;
  • Priorize conquistas sobre responsabilidades.

 

Quer entender melhor a diferença entre conquistas e responsabilidades?

 

As responsabilidades são apenas tarefas pelas quais você era responsável naquela posição. Muitas vezes os recrutadores poderiam assumi-las apenas lendo o título do cargo. Elas não sinalizam que você cumpriu bem aquelas funções.

 

Já as conquistas demonstram sua habilidade com certa tarefa. Enquanto “responsável por vender seguros” é uma responsabilidade, “vendi em média 10 pacotes de seguros por semana” é uma conquista.

 

Para fortalecer suas conquistas, siga esses dois pontos sempre que possível:

 

  • Comece a frase com um verbo em primeira pessoa, como “supervisionei”, “atendi” ou “vendi”;
  • Use números, mesmo que aproximados, ao descrever suas conquistas.

 

As conquistas são especialmente úteis caso você esteja listando um cargo bem diferente do que você está concorrendo. Por exemplo, uma candidata que busca um emprego de professora e já foi babá, deve listar conquistas relacionadas ao ato de ensinar, como “ensinei crianças de mais de 10 famílias através de brincadeiras, sempre prendendo suas atenções”.

 

Veja um exemplo de experiência no currículo bem escrito:

 

Exemplo de experiência no currículo — arquiteto

 

Arquiteto sênior

Construtora Emanuella Cortés

Janeiro de 2015 — atualmente

  • Reduzi os custos do planejamento das obras em 10%, através de um sistema que implementei;
  • Acompanhei mais de 100 projetos, em todas as suas etapas;
  • Aumentei a precisão dos orçamentos em 25%;
  • Venci o prêmio interno de melhor desenho em 2018 e 2019, competindo com mais de 30 arquitetos.

 

Para ler mais sobre como colocar seu histórico laboral no curriculum vitae, leia: Como colocar a experiência no currículo.

 

Veremos agora como incluir sua educação no currículo. É mais importante do que parece!

 

O gerador de currículos da ResumeLab é mais do que parece. Pegue conteúdo específico para aumentar suas chances de conseguir o emprego. Inclua descrição das experiências, listas e habilidades. Fácil. Leve seu currículo ao próximo nível com nosso gerador de currículos agora.

 

gerador de currículos

 

CRIE SEU CURRÍCULO

 

3. Como colocar a educação no currículo

 

A seção de formação acadêmica deve ser bem detalhada se você está iniciando sua carreira agora, mas deve ser simples se você já tem alguma experiência para mostrar.

 

Liste suas formações acadêmicas por ordem de relevância, começando por aquela que é a mais importante para a vaga desejada.

 

Veja algumas dúvidas comuns sobre como listar a educação no currículo:

 

  • Você pode incluir cursos extracurriculares. A melhor prática é incluí-los se você tiver pouca experiência, ou eles forem super relevantes. Se não for o caso, deixe-os para a seção de informações adicionais;
  • Você pode listar formações que ainda está cursando. Basta, no lugar da data de término, escrever “conclusão prevista:” e incluir o ano.
  • Incluir o colegial não é recomendado para quem já tem experiência de trabalho ou curso superior.
  • Você também pode incluir cursos que desistiu na metade. Apenas reflita se eles realmente são relevantes, e prepare sua resposta para a entrevista, pois os recrutadores provavelmente irão perguntar por que você largou o curso.

 

Em cada item da sua formação acadêmica, inclua:

 

  • Nome e tipo de curso;
  • Nome da instituição de ensino;
  • Data de término (pode incluir mês ou apenas ano).

 

Isso é o mínimo que você deve incluir. Caso esteja detalhando bastante sua seção de educação, por ter pouca experiência, considere listar também:

 

  • Data de início (pode incluir mês ou apenas ano);
  • Uma lista com conquistas acadêmicas, seguindo a mesma lógica das conquistas profissionais que explicamos no capítulo anterior;
  • Qualquer outra informação que considerar relevante (matérias opcionais, notas, nomes de professores, carga-horária, assunto do trabalho final, etc.).

 

Veja dois exemplos de formação acadêmica bem escritas em currículos:

 

Exemplo de formação acadêmica no currículo — arquiteto — com experiência

 

Bacharel em arquitetura e urbanismo

Universidade Federal de Brasília

2014 – 2018

 

Exemplo de formação acadêmica no currículo — arquiteto — sem experiência

 

Bacharel em arquitetura e urbanismo

Universidade Federal de Brasília

Conclusão prevista: 2023

  • Fui eleito representante de classe por dois anos seguidos;
  • Membro do grêmio estudantil durante um ano;
  • Finalista do concurso de design para o novo logotipo da universidade.

 

Simples, né? A próxima seção também é importante: a de habilidades.

 

4. Como listar as habilidades no currículo

 

A próxima seção do currículo é conhecida como “habilidades” ou “competências”.

 

Nela, listamos entre 5 e 10 habilidades que possuímos e que acreditamos serem relevantes para a vaga concorrida.

 

Para saber quais habilidades colocar no currículo, siga os passos abaixo:

 

Como colocar habilidades no currículo

 

  1. Leia a descrição da vaga, e faça uma lista com as habilidades necessárias para o cargo, baseando-se nas responsabilidades e requerimentos da vaga;
  2. Destas competências, coloque na seção de habilidades aquelas que você tem proficiência;
  3. Se não conseguir colocar ao menos cinco itens, refaça o processo com vagas parecidas que encontrar na internet;
  4. Se mesmo assim não conseguir, busque na internet artigos sobre habilidades necessárias para a vaga que busca.

 

Por exemplo, para nosso amigo arquiteto, poderia ficar assim:

 

Exemplo de habilidades no currículo — arquiteto

 

  • Design de interiores;
  • Levantamento de áreas;
  • Pacote Adobe;
  • Pacote Office
  • AutoCad 2D e 3D;
  • Illustrator;
  • SketchUp;
  • Inglês fluente;
  • Proatividade;
  • Criatividade.

 

Note que neste exemplo ele misturou conhecimentos técnicos, também conhecidos como hard skills, com características pessoais, conhecidas como soft skills. Isso não só é aceitável, como é recomendado.

 

Soft skills são habilidades a prova de automatização. Um programa de computador (ainda) não pode ser criativo. Além disso, elas são difíceis de serem ensinadas e treinadas, portanto recrutadores precisam buscar candidatos com as características que procuram. Se a vaga de trabalho mencionar uma soft skill que você possui, coloque-a na lista.

 

Você também pode listar suas habilidades em categorias específicas. Por exemplo, nosso amigo arquiteto poderia muito bem ter criado uma seção do currículo apenas para suas habilidades com softwares (que aliás, são hard skills). Afinal, ele possui proficiência em diversos e eles são muito relevantes para a vaga concorrida.

 

Nesse caso, ficaria assim:

 

Exemplo de habilidades no currículo — arquiteto — divididas por seções

 

Softwares

 

  • Pacote Adobe;
  • Pacote Office
  • AutoCad 2D e 3D;
  • Illustrator;
  • Mockshop
  • Trello;
  • Revit;
  • SketchUp;
  • Promob.

 

Outras habilidades

 

  • Design de interiores;
  • Levantamento de áreas;
  • Inglês fluente;
  • Gestão de tempo;
  • Proatividade;
  • Criatividade;
  • Organização.

Dica valiosa: coloque suas habilidades na lista usando exatamente as mesmas palavras que os recrutadores usaram na descrição da vaga. Muitas vezes eles utilizam softwares para filtrar currículo, e esses programas utilizam palavras chaves para filtrar candidatos.

Quer ir além do esperado? Você pode listar certificados e outras informações que demonstrem aquela sua habilidade ao lado de cada item. Por exemplo, se quiser falar que você é fluente em espanhol, pode listar o idioma dessas duas maneiras:

 

  • Espanhol fluente

 

ou

 

  • Espanhol fluente (Nível C1 — certificado DELE pelo Instituto Cervantes).

 

Veja mais técnicas e exemplos em: Como colocar habilidades no currículo.

 

5. Informações adicionais no currículo

 

Existem ainda informações que você gostaria que os recrutadores soubessem, mas que não entraram nas seções anteriores? É para isso que servem as informações adicionais do currículo.

 

Nelas, você pode incluir diversas informações, como:

 

  • Cursos extracurriculares (se não estiverem na seção de educação);
  • Idiomas (se não estiverem na seção de habilidades);
  • Trabalhos voluntários (se não estiverem na seção de experiência);
  • Palestras (tanto como espectador quanto como orador);
  • Eventos participados, como conferências e congressos;
  • Certificações de todos os tipos;
  • Projetos pessoais;
  • Premiações;
  • Publicações;
  • Intercâmbio;
  • Hobbies e interesses.

 

Lembrando que, como no resto do currículo, você só deve incluir aquilo que é relevante à vaga.

 

Essa informação pode ser incluída em uma seção no final do seu currículo chamada “informações adicionais”, ou você pode criar seções mais específicas, como “idiomas” ou “publicações”. Tudo depende de quantos itens você quer colocar de cada categoria, e quão relevantes para a vaga eles são.

 

Para ver diversos exemplos, leia: Como colocar informações adicionais no currículo.

 

Vamos agora para a última seção, o perfil profissional, que, na verdade, é a primeira seção do currículo. Lembra que pulamos a introdução?

 

6. Perfil profissional, objetivo do currículo ou resumo do currículo

 

A introdução do currículo tem muitos nomes. “Perfil profissional”, “objetivo do currículo”, “objetivo profissional”, “resumo profissional” ou “resumo do currículo” são alguns deles.

 

Não importa como você chame essa introdução, trata-se de um texto curto voltado para que você se apresente ao recrutador e convença-o a ler seu currículo do começo ao fim (já que, como vimos, isso é tão raro).

 

Maneira correta ou errada para escrever a introdução do seu curriculum vitae não há, mas você pode seguir os passos abaixo para garantir que fará um bom perfil profissional:

 

  1. Leia o seu currículo inteiro e escolha os pontos principais de cada seção. Geralmente, tentamos incluir no texto:
    1. Uma habilidade técnica (hard skill);
    2. Uma qualidade pessoal (soft skill);
    3. O número de anos de experiência laboral;
    4. Uma ou mais conquista profissional;
    5. A faculdade (se tiver pouca experiência);
  2. Mantenha o texto com apenas um parágrafo, de três ou quatro frases;
  3. Deixe claro para qual vaga você está se candidatando;
  4. Mencione como você pode ajudar a empresa que te contratar. Você ganha pontos extras se mencionar a empresa por nome.

 

Geralmente, profissionais experientes acabam focando mais nas suas conquistas passadas, enquanto candidatos de começo de carreira focam no que querem conquistar, por isso aqueles costumam chamar esse texto de resumo do currículo, enquanto estes costumam chamar de objetivo do currículo. O ideal é achar o equilíbrio e focar em como você pode ajudar a empresa.

 

Voltando ao exemplo do arquiteto, seu perfil profissional poderia ficar assim:

 

Exemplo de perfil profissional do currículo — arquiteto

 

Arquiteto sênior proativo com mais de 10 anos de experiência. Em meu trabalho atual, venci o prêmio de melhor desenho em dois anos consecutivos. Acredito poder utilizar meu conhecimento em design de interiores para reorganizar seu escritório e aumentar em 10% a produtividade da sua equipe. Adoraria a oportunidade de conversar sobre como farei isso em uma entrevista presencial. 

 

Pronto, você terminou de montar seu currículo! Será mesmo?

 

Segundo um levantamento da Catho, erros de português são o maior fator de descarte de candidatos para 34% dos recrutadores. Isso é muito grave. Revise muito bem o português.

 

Após garantir que seu curriculum vitae está com o português impecável, salve o currículo em PDF, para evitar que ele desformate nas mãos dos recrutadores, mas mantenha uma versão editável caso queira mudar algo no futuro.

 

Será que acabou? Para a maioria dos candidatos sim, mas se você quiser aumentar suas chances de conseguir o emprego, continue lendo para ver como fazer uma carta de apresentação.

 

Aumente suas chances com uma carta de apresentação combinando com o currículo. Escolha um modelo de carta de apresentação e faça seus documentos se destacarem.

 

modelo de carta de apresentacao

 

CRIE SUA CARTA DE APRESENTAÇÃO

 

Quer inspiração para fazer sua carta de apresentação? Veja exemplos de cartas de apresentação prontas.

 

7. Carta de apresentação do currículo

 

Como saber se você deve ou não fazer uma carta de apresentação? É muito simples:

 

  • Se os recrutadores pediram, faça;
  • Se eles especificaram que não querem receber cartas de apresentação, não faça;
  • Se eles não falaram nada a respeito, é sua escolha. Enviá-la vale a pena, já que o pior que pode acontecer é ela ser descartada, mas na melhor das hipóteses ela pode te fazer conseguir o emprego.

 

O que é a carta de apresentação, afinal?

 

A carta de apresentação é um documento enviado com o curriculum vitae no qual você se apresenta aos recrutadores, deixa claro qual a posição para a qual você está se candidatando e porque eles devem levar sua candidatura em consideração.

 

É basicamente uma versão mais longa do seu perfil profissional.

 

A carta de apresentação deve ser curta, direta e personalizada para a empresa e a vaga. Assim como no currículo, deve ser incluído apenas o que é relevante para a posição concorrida.

 

Você pode aprender a fazer uma carta de apresentação perfeita em: Como fazer uma carta de apresentação.

 

Resumindo — Como montar um bom currículo

 

Para fazer um bom currículo, siga os passos abaixo:

 

  1. Escolha a melhor estrutura para seu currículo dentre as três tradicionais;
  2. Formate seu curriculum vitae de maneira profissional;
  3. Monte um cabeçalho simples com as informações de contato;
  4. Escreva sobre suas experiências laborais focando em conquistas;
  5. Detalhe sua formação acadêmica de acordo com a experiência;
  6. Liste cerca de 10 habilidades no currículo, hard skills e soft skills;
  7. Adicione informações complementares como certificados;
  8. Escreva um perfil profissional com as melhores partes do currículo;
  9. Releia o CV e garanta que o português esteja impecável;
  10. Salve o currículo em PDF para que não desformate no futuro;
  11. Escreva uma carta de apresentação para enviar com o currículo.

 

Pronto! Agora realmente terminamos!

 

Você acha que faltou alguma dica? Será que algum detalhe ficou confuso? Deixe um comentário na seção abaixo e responderemos rapidamente!

Avalie meu artigo: como fazer
Obrigado por votar!
Média: 5 (2 votos)
Pedro Martins
Pedro Martins
Pedro é especialista em carreira e criação de currículos.

Foi interessante? Veja artigos similares

Currículo ou curriculum: qual usar e como se escreve?

Currículo ou curriculum: qual usar e como se escreve?

Às vezes bate aquela dúvida: como se escreve currículo ou curriculum vitae? Qual é o certo e qual usar? Neste artigo, você verá a resposta para essas perguntas e um modelo de CV.

Joana Silveira
Joana Silveira
Especialista em carreira